vontade pequena

quero

um lugar que caiba no

bolso

e que não doa

os ossos

pra carregar


celebrar

uma vitória tímida

um momento único

com poucas falas

e um tanto de música.


olhar aquele algo

simples

sem contornos máximos

ou luzes fortes.

só alguém

com uma camiseta mais ou menos bonita

e a voz um pouco desafinada

a bermuda rasgada de tanto usar.


não são preciso

poemas. qualquer palavra serve

pra descrever.


um vinho talvez

mas nem precisa

porque

ali

naquele lugar do tamanho certo

não falta nada

e não sobra pra ninguém.


tá tudo muito bem

no limite

timidez do sol e

no limiar

da tarde em que

as nuvens

não tem nada de especial

são só nuvens

flutuando

até sumir.






0 comentário