quinta

se eu colocasse

meu ouvido no

teu pescoço

poderia ouvir

teu volume

e o jeito que

vibra

e faz ar e som

parecem amantes


se eu colocasse

a mão no

seu ouvido

poderia

tocar o que você

escuta

e isso

parece absurdo

mas me

chega

tão bom


se eu colocasse

meu absurdo

no teu ouvido

você se

remexeria na cadeira

enquanto ajeita o fone de

ouvido

e eu continuaria

tentando

tocar

o silêncio

com a ponta

do nariz


poderia

ficar o tempo

que fosse

em repouso silencioso

mas seria

um desperdício

afinal

o canto

é esse movimento

de exercício

impiedoso

de lingua

e bocejo


chegando ao fim

você assim

e eu também

o peito parece

se lembrar de todas

as lições

ao tempo

que esquece

cada uma delas

com o cuidado

de um estudante rebelde

antes do último minuto

o coração se prepara

pra esquecer

talvez pra que dure mais

antecipando

qualquer possibilidade

de formatura


o que eu quero mesmo,

é uma quinta-fera

silenciosa

com o arranjo

das vênus

e dos martes

a fumaça do cigarro kent

seja na voz que vibra

na nota que guia

ou no colo invisível

pelo enquadramento.