Poema do livro 'Anatomia do Homem em Curso'*

Nem se te dessem um nome, homem


haveria conforto - é difícil olhar

este teu corpo amorfo


querendo tocar.


o que você vê quando vê


o que você olha quando olha


o que você enxerga quando enxerga


me diz, homem


porque quando assisto o teu olhar

vejo que ele busca fissuras

de corpos

rachaduras de

óssos


você tenta entrar por brechas, homem










por quê?






* Este poema faz parte do livro 'Anatomia do Homem em Curso', escrito durante a pandemia e ainda sem data de publicação.

© 2020 por Caio Ribeiro

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now