fur aureliou

um menino

palestino

de jaqueta

jeans

joga

uma pedra

em um tanque

de guerra americano


o diabo se esgueira dentro

da cabeça de um homem

que usa a virtude como

sua gravata predileta


seis baleias dormem

como se fossem as pedras

da chapada

no fundo do mar


ensaio a pronúncia de um nome

enquanto lembro do meu

se a tônica é no início

a leoa mostra os dentes

se é no final

a artista

entrega um beijo assoviado.


muitos pedais de bicicleta rodam

a cabeça cansada de um poeta que

não escreve.


aurélio, tão querido e triste

esse menino tão

velho

descansa nos tons de jobim

o menino pierrot de

marfim.

0 comentário