falo pouco com mortos

falo pouco com mortos

concentro minha atenção aos vivos - é com eles que falo que namoro que convivo


mas há momentos em que falo com mortos

e quando faço

eu os vivo


compreendo tão bem suas dores que elas deixam de ser lâminas

e se tornam línguas.


é duro admitir isso

que quando entro nos mortos

sou muito mais sincero

e tolerante

que consigo sentir a energia da época

e que valso uma amizade eterna


os vivos me fascinam, mas me exigem tudo.

mortos não me visitam

não me aborrecem

não me molestam

os vivos nao terminam coisas,

só as começam.


mortos são o fim em si. mesmo o seu inacabado terminou.

não há o que acreccentar na falta de um morto.

e é por isso que gosto. falar com mortos é falar com

um deus completo.


mas


falo pouco com mortos

concentro minha atenção aos vivos - é com eles que falo que namoro que convivo.


0 comentário