me lembro das aulas de caligrafia do colégio de freiras. nunca fiz nenhuma. não lembro como conseguia me safar semanalmente. usava o caderno para desenhar pequenas histórias dentro daquelas linhas apertadinhas. uma vez uma professora com cara de boi bravo disse "sua letra parece astronauta, fica flutuando na linha". aquele foi um dos maiores elogios que já recebi.

bradam aos montes

os novos

e menos distantes

brutamentes

cabeças de chumbo

calçando

chulos coturnos

cheios

de dentes


bradam as mentes

os novos

e mais potentes

brutamontes

olhos de venda

cabeças sem fundo

calçando

calçadas

que levam

ao abismo

um risco

que amam

assumir

e

sumr.

A Revista Mallarmargens - Poesia e Arte Contemporânea, ISSN 2316-3887, no ar desde maio de 2012, tem como objetivo aglutinar a diversidade da poesia contemporânea nacional e internacional. Atualmente com 112 mallarmagos (autores fixos) e 500 mallarmigos (autores, periódicos e espaços culturais), o veículo tem atualizações diárias, com a proposta de ser dinâmico e interativo, assim como a multiesférica arena virtual, de modo a também concretizar, mesmo que em partes, o projeto de livro infinito de Mallarmé. Todas as atualizações são catalogadas em volumes anuais, agrupadas em números mensais e classificadas em colunas: Poemas, Prosas, Ensaios, Traduções, Galeria, Musicoteca, Videoteca e Notícias.


E neste mês de fevereiro sem carnaval, alguns dos meus poemas foram publicados na revista. O título da publicação ficou tão bonito! Corre lá pra ler!


olhares, desvios e sublimes desatinos: a poesia de Caio Augusto Ribeiro


© 2020 por Caio Ribeiro

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now