é assim

derrapo

e ainda vacilante

descubro o

desequlíbrio

e seus diamantes


a dobra do corpo

não se faz unânime

ante o âmago

que a horizontaliza


não desviar

mas olhar

para o desvio


viver um livre

desatino

de deserto

e estender o certo

como deserção


o acidente como

proposta de vida

o acaso como um

professor despreocupado


descobrir a cura a partir

de alguns venenos

e saber que nem tudo o que é pequeno

pra sempre o será.


cair mais uma vez e

na dúvida

uma segunda e outra terceira.


é assim.


0 comentário